23.9.16

Setembro com cheirinho a Outono...



... mas entretanto, já estamos em Portugal.

Este post ficou aqui pendurado no blogue à espera de ser publicado desde o inicio de Setembro. Queria eu mostrar um pouco dos nossos dias que se enchiam aos poucos de detalhes outonais. Tínhamos saído de Minnesota e estávamos a passar os primeiros dias do mês em Wisconsin.
Apreciamos a natureza, abóboras e doçaria.

Depois, avião, e cá estamos!
Foi uma viagem e peras. Longa, cansativa e stressante. Se a minha filha mais velha era um anjo em viagens de avião, já o mesmo não posso dizer da minha bebé. Principalmente nesta fase em que ela anda de gritos e irritabilidade quando se sente 'presa'. Esta viagem foi um verdadeiro teste à nossa paciência e resistência.
Chegamos exaustos, sonos todos trocados e muita coisa para tratar.

Agora estamos cá e por cá ficaremos. Acham que somos uns doidos varridos, porque enquanto todos 'fogem' de Portugal, nós queremos voltar. A verdade é que quando saí não foi para 'fugir'. Mas como eu nunca sigo muito os padrões da 'normalidade' (nem sei bem definir o que é normal), encaramos esta nova fase com alegria e confiança e acreditamos em Portugal. Isto não é só querer acreditar nos golos que metemos em balizas de futebol! haha.

Filha mais velha voltou à sua escolinha e ficou radiante por ver os amigos que tinha feito o ano passado. Está no 1ºano e apesar de algumas barreiras linguísticas, não há nada que não se consiga e admiro muito a coragem dela!!

Portanto ficam estas imagens deste post, como uma despedida dos States. Nunca será uma despedida definitiva pois teremos que voltar com frequência, mas agora assentamos arraiais, por aqui. 

Estou super entusiasmada por estar de volta e um até já! ;)

xoxo
Jo 



26.8.16

Pompom Unicorn Queen - 6 anos!!



E a minha babe assim de repente já tem seis. Notei uma evolução imensa desde o ano passado. Cresceu bastante, anda a perder os dentes e mantém-se ativa e curiosa como nunca. Parece uma mini teenager! Me-do.
Já lá vao 6 anos também, a relatar as festinhas dela por aqui:

2011 - 1 ano, em Vermont
2012 - 2 anos, em Vermont
2013 - 3 anos, em Vermont (Nao há post)
2014 - 4 anos, na Florida
2015 - 5 anos, em Portugal

... e os 6 anos em Minnesota.

Foi um dia descomplicado. So estivemos em casa para apagar as velas. Tivemos um dia como as criancas gostam - brincar, comer pizza e jogar.
Fizemos uma mini decoracao com pompoms e baloes. Decoramos o bolo, apagamos as velas, e brincamos outra vez.
Tenho a certeza que ela adorou o dia pois a excitacao era gigante. 6 anos, é uma 'grande' idade! :)

Parabéns filha!! Espero que guardes estas memorias com felicidade. Mereces muita cor, muita pirosice, muita alegria e  ligeireza.


18.8.16

South Dakota ~ Black Hills ~


A segunda parte da nossa viagem foi toda concentrada na regiao montanhosa isolada chamada Black Hills. Um destino popular turístico pela historia que nela existe e pela beleza natural. Um lugar bastante sagrado para os índios e apesar de ter havido um tratado expressamente a definir que nenhum branco deveria entrar na regiao, esse mesmo foi quebrado quando na altura da guerra ao ouro, os sedosos pela riqueza descobriram que esta regiao proliferava com esse metal precioso e por consequência ignoraram essa imposição, e da'i nasceu Deadwood.
Provavelmente um dos lugares com os maiores marcos e monumentos do pa'is. Visitamos os pontos principais desta regiao... Custer Park, Mount Rushmore e Deadwood. Falarei sobre eles abaixo, inserindo um pouco da historia e das curiosidades que se destacaram para mim.

Localizada mais a sul e carregado de lugares pitorescos e vida animal abundante que circula livremente, incluindo grandes manadas de búfalos, este parque oferece de tudo. Caminhadas, passeios a cavalos, acampar, mergulhar nos lagos e uma espécie de safari de jeep.
'E nos oferecido um mapa 'a entrada com todas as atividades e suas localizações. Fomos apenas com um propósito e essa foi ver os animais, por isso optamos por ir pela Wildlife Loop Road. Um estrada que cobre praticamente toda a área e onde 'e possível ver todos estes animais a vaguearem livremente. Ora, infelizmente nao vimos praticamente nada o que foi em certa parte uma decepçao. Avistamos uma manada de búfalos por uns breves segundos mas por ordem dos guardas, tivemos que prosseguir. Chegamos também a uma hora ma', pois foi precisamente no meio do dia. Os animais estarão mais ativos de manha cedo, e ao final do dia... Por isso nao cometam o mesmo erro que nos. De qualquer forma a estrada tem paisagens bonitas e ao terminarmos o percurso, resolvemos sair da área, por uma estrada cénica e icónica (e ainda bem que o fizemos. Um dos pontos altos da viagem): Needles Eye



Ainda dentro do Custer Park começa a estrada. O culminar 'e chegar ao fim do topo da montanha e passar por vários túneis entre rochas e chegar 'a pedra que deu o nome a este trajeto, por esta se assemelhar a uma agulha. 
A estrada 'e estreita, curva-conta-curva e com vistas deslumbrantes por entre pinheiros e rochas graníticas, consideradas as mais antigas do norte da América. 




Este monumento nao precisa de grandes apresentações. Quatro presidentes que foram esculpidos nestas rochas e 'e um marco bastante patriota deste pa'is e milhares de pessoas o visitam. Existem vários pontos para observar, uma trilha junto ao rochedo e o estúdio do artista, compõem toda a envolvência deste parque.



 Ja' referi acima, um pouco sobre esta cidade e como nasceu. Os verdadeiros amantes do old west, peregrinam a este local, que 'e a imagem legendaria da historia dos fora-da-lei, da guerra ao ouro, de disputas na rua, e da morte de ícones desta época.
Deadwood encontra-se localizado num vale das Black Hills. Outrora território sagrado dos índios e interdito a brancos, esta regiao sem controle e sem leis, foi severamente ocupada por mineiros que vieram a descobrir a riqueza que aqui existia.
Edifícios da época ainda estao fortemente erguidos e no seu auge chegou a ter mais de 20.000 habitantes. Hoje existem apenas 2.000 habitantes mas turistas enchem as ruas e os diversos marcos históricos. Casinos, bares (saloons) e restaurantes sao a grande atração e preservam a vida fervilhante que os mineiros de antigamente, envolviam-se descontroladamente.

29.7.16

South Dakota ~ Badlands ~



O que eu conheco dos Estados Unidos, ia principalmente do centro ate 'a costa leste. Nunca me tinha aventurado muito para os lados do oeste. Agora que estamos em Minnesota, aproveitamos uns dias sem as miudas, e fomos ao estado aqui ao lado. Um estado imenso com estradas infinitas e praticamente desertas, mas sabiamos que no final da reta, ia estar uma grande aventura. Assim que nos comecamos a aproximar do estado de Wyoming, as paisagens mudaram, e os campos planos sem arvores, dao lugar; primeiro 'as Badlands e depois 'as Black Hills. Logo, primeira paragem, foi precisamente nestas terras verdadeiramente tiradas de um filme sci-fi passado num planeta qualquer.
Assim que saímos do carro, fomos arrebatados por um calor sufocante absolutamente abrasador. "Tínhamos que ir de ferias precisamente na semana mais quente do verão, com temperaturas acima do normal" - pensei eu. Nao faz mal... a passagem imensa arrebatou-me completamente de surpresa, e nao havia calor nenhum (mesmo a parecer que me saltava a pele como pipoca), que nos ia impedir de usufruir desta paisagem unica. A única coisa a que nao nos aventuramos fazer, foi percorrer as trilhas. Existem e devem ser fantásticas mas o calor era DE-MAIS.

Badlands 'e um territorio imenso de pradarias, vida animal selvagem, depositos importantes de fosseis e obviamente esta espetacular formacao do territorio atraves de milhares de anos de erosao. Incrivel imaginar que isto tudo foi antes cercado por mar. Apesar de parecer completamente inospito 'a primeira vista, Badlands tem suportado humanos por mais de 11.000 anos. A comecar com cacadores de mamutes, tribos nomadas para cacar os buffalos, tribos indias, ate a cacadores de peles que eram franceses (os primeiros europeus a chegar). Infelizmente estes mudaram a face da pradaria e apos 40 anos de muita luta, a tribo de indios Lakota foi protegida e o território conferido a reserva.
Os índios chamavam este território de mako sica, e os franceses les mauvaises terres 'a traverser. Ambos significam "bad lands" e da'i advem o nome.
A geologia 'e igualmente fantástica e a erosão começou há 500,000 anos atrás quando a agua começou a cortar as rochas e a formar as camadas que se ve.

Paisagísticos, esta viagem foi fenomenal. A historia humana ditou tudo um pouco mais sangrenta, quando os índios sofreram muito nas maos dos brancos. Desde a's Badlands, ate' a's Black Hills (que falarei num proximo post), estes territórios foram todos reivindicados e arrancados dos índios por ganancia, dinheiro e poder.

Em termos fotograficos, optamos desta vez por tirar a nossa camara analogica do fundo do bau, e tirar muito mais fotografias analogicas. Digitais foram poucas e ainda nao revelamos os rolos. Adoro aquela ansiedade de descobrir como sairam e por isso vou ainda ter que esperar ate descobrir um sitio para as revelar. ;)

Obrigada por terem 'vindo' comigo ate a esta viagem. Se gostarem de natureza, e cultura americana e o velho faroeste, nao podem de todo perder esta visita por estas bandas. Mais "americana" que isto nao existe.
Black Hills, marca todo uma era do 'gold rush'...mas isso fica para o próximo capitulo ;)

xoxo
Jo



23.5.16

De volta ao US of A

 
 

 
Ai que faço caretas quando publico fotografias de telemóvel neste blogue! Não foi para isso que o comecei. Não queria que fosse um lugar 'descartavel', mas sim um lugar de trabalho e exigências fotográficas, obviamente ao nível que eu acho que seja interessante. Mas oh vida que tanto o obrigas....
Ja cá falei da facilidade de cliques que 'e o iphone. E depois deixei a minha câmara em Portugal e ainda não me consigo habituar a' Nikon do meu marido. Err... (Sou toda Canon, btw). Somente era menos um peso que tinha que carregar. Viajar sozinha com duas miudas...."mmm, sim câmara, ficaste em Portugal".

Por isso c'a estou a reportar para os interessados, estas primeiras imagens que registaram o nosso primeiro mês de volta a' terra do tio Sam!
Estamos num estado novo. Ja não vão ver mais palmeiras e praia (raios!) mas sim outro tipo de natureza.

Ajustes, burocracias, adaptações, transferências 'e feito dos nossos dias. Ah, e muito do papel de mãe. Quero muito voltar ao trabalho, mas também quero muito ficar com as miúdas, principalmente a bebe que ainda precisa de tantos cuidados. Ainda não a consigo deixar aos tratos de estranhos.

Nos nossos dia-a-dias normais como tantos outros, encaixamos passeios e atividades simples. Porque como falava hoje de manha com uma amiga, pequenos prazeres da vida, são mesmo tudo!! Nem que seja encontrar canecas dos anos 70!! :D oh sim, fico toda alegre malta!

Um grande abraço virtual aqui das bandas do Midwest, mais concretamente Minnesota!

See ya around, principalmente pelo Instagram.

xoxo
Jo.

13.4.16

#ballonblancbabemonthly - 6 MESES




Fica aqui a minha comemoração dos 6 meses da minha ballon babe!
Como é que já passou meio ano? Passa rápido, pois passa...

Comecei esta série acidentalmente. Não tinha previsto fazer nada do género mas quando resolvi incorporar as folhas que apanhei no hospital (quando ela ainda estava internada), na fotografia do primeiro mês no instagram, achei que seria engraçado fazer algo do género todos os meses, e relacionado com a época do mês.
Nasceu no outono, passou um inverno e já cá anda na primavera. 3 estações, 6 meses de uma grande aventura que dura uma vida!

(Instagram @ballonblanc)

12.4.16

Batizado da P. |fotos pela Susana|



Que dia bom e memorável e especial que foi o batismo da minha bebé. Foi bonito e tranquilo e poder juntar familiares e amigos chegados para partilhar de uma ocasião tão simbólica, só acresce à importância da união e convívio.
Escolhi a Susana para registar este dia e ela sem dúvida que me encheu a alma quando me enviou o resultado. São tantas fotografias boas, e aqui coloco só um 'cheirinho' do que foi este dia.

Adoro o estilo fotográfico da Susana e do captar dos momentos espontâneos e em movimento. Ela sem dúvida que captou igualmente, talvez sem saber, a fotografia mais querida do meu avô!
Vou estimar tudo muito, muito e será uma óptima recordação do que foi este dia.

A P. levou o fato que foi usado pela avó dela há mais de 50 anos, a toquinha foi a bisavó que fez e os sapatinhos que ela usou, foram os mesmos da mana. Adoro passar estes trajes de geração em geração.
A igreja é a da nossa paróquia e a mesma onde fui batizada há 36 anos. O local para o convívio e almoço, foi em Montes Claros e é uma 'lufada de ar fresco'. A decoração foi toda feita e idealizada por mim, com uma ajuda imprescindível na hora de dobrar todas as pombinhas em origami, pela madrinha do coração da P - Babe Bichinho. E o bolo? Ai e o bolo... a Migalha Doce obviamente que criou e deliciou o 'troféu' da festa!

(Fotografias: Susana Gomes Photography)










Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...